Porto Velho,
Rss Canal YouTube Facebook Twitter


Deixem as escolas em paz! Professor Nazareno

14/11/2017 - [05:20] - Opinião

 
Professor Nazareno*
          
De um modo geral nem as escolas nem a educação no Brasil jamais tiveram qualquer importância para a sociedade ou sequer seus objetivos foram discutidos em profundidade. As autoridades e a elite dominante desde os tempos da Colônia sempre sabotaram o saber para as classes menos privilegiadas. Como consequência deste absurdo, temos um dos piores sistemas de educação do mundo. Os políticos brasileiros nunca se preocuparam com a educação do povo. Porém, desde o golpe parlamentar dado em 2016 que se tem observado uma guinada à direita em nossa sociedade. Os direitistas, reacionários, religiosos e conservadores começaram a se interessar pela escola, que escolheram como alvo para impor sua maneira de pensar e agir. Desde então, essas escolas não têm tido sossego. Essa gente está à espreita e querendo “alguma coisa”.

Em Ariquemes, o prefeito local investiu contra as escolas do município. Em conjunto com meia dúzia de pais, evangélicos em sua maioria, decidiu proibir a distribuição aos alunos de livros didáticos que falavam sobre os novos de tipos de família. Inconformado, ameaçou rasgar todas as páginas que tratavam do assunto. Depois do escândalo nacional, da vergonha que Rondônia passou, da ameaça à Constituição e de decisões dos Ministérios Públicos, recuou por enquanto. Em outro flanco, alguns deputados estaduais querem impor a militarização de vários estabelecimentos de ensino. Escolas militares devem existir, mas escolas militarizadas beiram a estupidez. A ideologia militar está ultrapassada. Militares devem se preocupar com segurança e não com educação, já que nenhum professor quer “educar” a PM.

Recentemente alguns políticos espertalhões tentaram tirar proveito do sucesso do colégio João Bento da Costa de Porto Velho. Propuseram à escola uma “moção de aplauso” e outras tolices somente para passar a impressão de que estão preocupados com a educação pública. Só conversa fiada mesmo, pois se estivessem, procurariam saber o porquê de outras escolas de Rondônia não terem o mesmo desempenho do JBC. Sou professor no João Bento há quase vinte anos e reconheço que ainda falta muita coisa para que ela seja uma escola de qualidade. Receber prêmios idiotas e sem sentido pode nos trazer o comodismo, por isso recusei todos. Alguns vereadores de Porto Velho, no entanto, continuaram a sua investida contra as escolas: dessa vez foi o desejo ditatorial de se proibir pura e simplesmente a ideologia de gênero dentro das mesmas.
 
A escola, qualquer escola, deveria ser um território de ideias livres. A dialética deve permanecer dentro delas e tudo deve ser ensinado e discutido. Todas as ideologias, todas as religiões, inclusive a não religião, já que vivemos em um Estado laico, todas as correntes políticas e ideológicas, todos os saberes. Em casa, a família deve dar o complemento e ensinar boas maneiras e civilidade. A religião não pode interferir na aprendizagem de ninguém. Esses cidadãos deveriam lutar para implantar escolas de tempo integral em Rondônia e em todo o Brasil. Deveriam buscar mais recursos para melhorar o nosso fraco ensino. Deveriam fazer como faz a maior parte dos políticos no mundo civilizado. Por isso, religiosos, políticos e militares, deixem as nossas escolas em paz! Se vocês as usassem para melhorá-las já seria um grande avanço. Parem de usá-las apenas para fins de promoção pessoal e para impor suas ideologias e suas religiões.


Comentários

Preencha o formulário abaixo e clique em "Comentar" para enviar seu comentário


ComentÁrios Facebook


Mais Notícias

E-mail: redacao@gentedeopiniao.com.br - gentedeopiniao@gmail.com

Diretor Comercial Luiz Carlos Ferreira - Jornalista Responsavél Luka Ribeiro

Telefone: (69) 3221 4532 e (69) 3221 4532

Endereço: Av Getulio Vargas 2086 - Sala Comercial 5 , Bairro: Nossa Senhora das Graças - CEP: 76804-114

Cidade/Estado: Porto Velho/RO

É autorizada a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação,
eletrônico ou impresso, informando a fonte em nome de Gente de Opinião

Gente de Opinião | Copyright © 2017 | Todos os direitos reservados