Porto Velho (RO) sábado, 6 de junho de 2020
×
Gente de Opinião

Aroldo Vasconcelos

Plano Safra precisa ser uma estratégia nacional para gerar empregos


Plano Safra precisa ser uma estratégia nacional para gerar empregos - Gente de Opinião

A melhor e mais correta definição de PLANO SAFRA do governo federal brasileiro é assim definido no portal do ministério da agricultura: programa do governo federal responsável pela destinação de recursos para o financiamento da atividade agrícola de pequenos, médios e grandes produtores do Brasil.

Ou seja, o Plano Safra responde pelas as ações que serão direcionadas por 12 (doze) meses para o setor agrário brasileiro sempre entre o julho de um ano e junho do próximo, acompanhando o sistema de plantio e colheita nos diversos biomas do país.

Dito isto, defendo aqui uma ideia de que esta poderá ser a melhor estratégia do atual governo, para, mais uma vez, salvar o PIB nacional.

Em outubro do ano passado (2019) foi divulgado a consolidação dos números do censo agropecuário 2017 do IBGE que diz que no Brasil existe um total de 5.073.324 de estabelecimentos agropecuários, os quais ocupam uma área total de 351,289 milhões de ha, ou seja, cerca de 41% da área total do país

Em relação ao levantamento anterior, feito em 2006, houve aumento de 5,8% na área ocupada, apesar da redução de 102.312 unidades rurais. O levantamento também mostra um total de terras indígenas que somam 117,639 milhões de ha e unidades de conservação espalhadas por 151,895 milhões de ha. Quando falamos em termos de áreas produtivas, tendo como referência, o mesmo documento citado acima, temos os seguintes números a ponderar:

a)   na categoria com mais de mil hectares, são 51.203 estabelecimentos, que ocupam 167,227 milhões de ha.

b)   O universo das propriedades pequenas, com até 100 hectares, são 2.543.681, em 7,993 milhões de ha.

c)    foram identificados 77.037 estabelecimentos agropecuários sem área, ou seja, produtores que trabalham, por exemplo, com extrativismo e apicultura.

Quanto à utilização da terra, houve uma curiosa diminuição em 34% na área total de lavouras permanentes, ficando em 7,755 milhões de hectares, e de 18% nas pastagens naturais, que somam 47,323 milhões de ha.

Em outro sentido, as áreas dedicadas a lavouras temporárias cresceram 14% (55.761.998 ha), as de pastagens plantadas subiram 10% (112.174.148 ha), as matas naturais dentro de estabelecimentos agrícolas aumentaram 12% (106.574.867 ha) e as matas plantadas ocupam uma área 83% maior do que aquelas registradas no censo agropecuário de 2006 (8.658.850 ha). 

Pois bem, com este mapa agrário em 2020, qual será o grande desafio da atual ministra do MAPA para que o setor rural possa, além de produzir mais e melhor, gerar também postos de trabalho e ocupação, tão necessários?

A resposta pode ser simples, mas em tempos de crise, as ações simples são detentoras de um viés soberano. O que os produtores pequenos, médios e grandes mais precisam agora é que os juros, os prazos, as carências e as condições do financiamento seja ágil, facilitado e de burocracia reduzidas.

Uma linha para as pequenas e médias agroindústrias deve ser urgente, especial para atender associações e cooperativas agropecuárias espalhadas por mais de 5.000 localidades.

A ação de governo é necessária, ontem; na medida em que os Bancos Oficiais, todos eles, possam operar com mais eficiência, simplificando seus processos e procedimentos de análise e liberação.

O governo precisa correr com os detalhes desse novo PLANO SAFRA 2020/2021 pois tudo começa no dia 1.o de julho; falta, portanto apenas 39 dias.

Transformando o plano em uma estratégia nacional de geração de empregos no campo, possivelmente veremos famílias se deslocar das capitais para o trabalho na lavoura e na pecuária; gerando até 2 milhões de novas ocupações.

A produção de segurança alimentar interna e para o mundo é realmente a nossa grande vocação, desde sempre.

Vamos colocar em prática, sem demora.

Graça e Paz

* O conteúdo opinativo acima é de inteira responsabilidade do colaborador e titular desta coluna. O Portal Gente de Opinião não tem responsabilidade legal pela "OPINIÃO", que é exclusiva do autor.

Mais Sobre Aroldo Vasconcelos

Recursos da união alocados para o combate a pandemia passa de 300 bi.

Recursos da união alocados para o combate a pandemia passa de 300 bi.

No Portal do Senado Federal, o cidadão brasileiro tem acesso ao andamento dos gastos públicos em todo o território nacional - existe em razão da Lei

Adiamento da reabertura de parte da economia.

Adiamento da reabertura de parte da economia.

Chegando o final de maio e vemos em Rondônia e na capital, distanciamento social entre Estado, Mercado e sociedade civil organizada, como nunca houve

Sobre o Comitê e o Plano Estadual de Combate a COVID-19

Sobre o Comitê e o Plano Estadual de Combate a COVID-19

Março e abril já se foram e, na verdade, desde fevereiro o governo do estado de Rondônia está às voltas com reuniões, planos e programas relacionado

Uma proposta de modificação da estratégia de pagamento pela Caixa

Uma proposta de modificação da estratégia de pagamento pela Caixa

Entre o mês de março e abril, estamos vendo toda a sorte de erros e de acertos dos governantes, tanto no Distrito Federal, falo do Governo Federal,