Porto Velho,
Rss Canal YouTube Facebook Twitter

Cleuber Pereira

O jornalista Cleuber Rodrigues Pereira é mais uma opção para os leitores deste Gente de Opinião, colocando sua experiência a serviço da comunidade, emitindo sua opinião sobre assuntos de interesse geral na coluna Cochá News. Cleuber é mineiro de Montalvânia, formado em jornalismo pelo CEUB – Brasília, e pós-graduado em Administração Pública pela Universidade Federal de Rondônia (UNIR). Trabalhou no Jornal A Tribuna em Porto Velho, foi correspondente da Folha de S. Paulo em Rondônia, e sempre atuou em assessorias de imprensa na Administração Estadual, e como consultor em jornalismo na iniciativa privada.

Encontro sobre hidrovia do Madeira debate duplicação do BR-364, dragagem e pirataria

19/08/2017 - [11:59] - Política


“Nosso objetivo aqui é lutar pela construção do acesso ao Porto Chuelo e duplicação do BR-364”. A afirmação é do presidente da Federação Nacional das Empresas de Navegação Aquaviária (Fenavega), Raimundo Holanda Filho, ao abrir ontem sexta-feira (18), em Porto Velho, o debate sobre a Importância do Transporte Sustentável em Rondônia, Amazônia e Impactos pós-UHE.

À mesa, o presidente da Fenavega, Raimundo Holanda, e autoridades observam Leudo Buriti defender a dragagem do Rio Madeira

Aos representantes de entidades de classe, autoridades federais, estaduais, municipais, da Marinha do Brasil e da sociedade de Porto Velho reunidos no auditório da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), ele demonstrou a potencialidade da hidrovia do Madeira, pedindo a união de esforços para alavancar o seu desenvolvimento (sustentável), destacando que não existe navegação forte sem rodovias boas e estruturadas.

Holanda citou investimentos de R$ 1,4 bilhão na melhoria e modernização dos Portos de Rondônia realizados pela iniciativa privada, que reclama dos desperdícios e prejuízos por falta de infraestrutura.

Segundo ele, em que pese tudo isso, a sociedade precisa saber que pela hidrovia do Rio Madeira são transportadas 13 milhões de toneladas de cargas por ano, com o maior comboio de balsas já visto, que transportam de uma só vez 40 mil toneladas, carga semelhante a de 1.300 carretas, que é toda conduzida por apenas 12 tripulantes.

O presidente da Fenavega disse que as autoridades conhecem essa realidade que precisa ser levada ao conhecimento também da sociedade para que ela se envolva neste processo do desenvolvimento sustentável. “As pessoas precisam saber da importância da navegação do Madeira”, disse destacando que por ela é que são transportados gêneros e produtos de primeira necessidade, como alimentos, gás de cozinha, combustível e todos os produtos de exportação.

DRAGAGEM E COMBATE A PIRATARIA

Assim como ele, o presidente da Sociedade de Porto e Hidrovias de Rondônia (Soph), Leudo Buriti, defendeu os mesmos pontos de vistas, mas destacou uma série de medidas que precisam ser implementadas no sistema de portos e hidrovias do Estado para modernizar seus procedimentos em direção ao desenvolvimento sustentável e promover a segurança da navegação.

Início da dragagem no Rio Madeira foi anunciada pelo Dnit na quinta-feira, 17

Segundo Buriti, é preciso avançar na discussão temas concretos sobre dragagem, sinalização e sobre combate a pirataria ao longo do Rio Madeira, medidas que tornam a utilização da hidrovia e o transporte de cargas mais seguros na região, que devem ser acompanhadas de outras obras não menos importantes como a ampliação da malha rodoviária que serve aos portos.

Sobre a dragagem o Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT) anunciou dia 17 o início dos serviços, que nesta primeira etapa atuará no aprofundamento de sete pontos considerados críticos, a começar pela localidade conhecida como Curicaca, onde está prevista a retirada de mais de 100 mil m³ de sedimentos (areia). Os demais pontos críticos são Papagaio, Cintra, Três Casas, Conceição, Cujubim e Tamanduá, identificados nos estudos técnicos e confirmados pelas companhias de navegação, e que prometem demandar muito trabalho.

Segundo informações do DNIT, nos próximos cinco anos serão investidos R$ 68,7 milhões para garantir o calado mínimo de 3,5 metros, que é condição básica para a navegação das barcaças que escoam milho e soja de Rondônia e do oeste mato-grossense para os portos do Arco Norte e também para a movimentação de combustível e carga geral entre Porto Velho e Manaus, serviço que após ser concluído vai manter o transporte pela Hidrovia do Madeira competitivo o ano interior, segundo garantiu o ministro Maurício Quintela, dos Transportes, Portos e Aviação.

O evento seguiu por toda manhã, encerrando as 12h, com forte apelo às autoridades federais para que vejam a navegação, por tudo que ela representa – movimentou mais de 1 bilhão de toneladas de cargas em 2016, o que representa 98% das exportações brasileiras -, com apreço e prioridade. E por fim, Raimundo Holanda agradeceu ao deputado federal Marcos Rogério, presente ao evento, que é presidente da Frente Parlamentar de Apoio aos Portos, Hidrovias e da Navegação Brasileira da Câmara dos Deputados, pelo seu apoio à causa do setor.
 

Leia mais:
 Dragagem do rio Madeira, em Rondônia, eleva a capacidade de embarques no Brasil
 Contrato para dragagem do rio Madeira é assinado pelo ministro dos Transportes

 


Fonte
Texto: Cleuber Rodrigues Pereira
Fotos: Ésio Mendes
Secom - Governo de Rondônia


Comentários

Preencha o formulário abaixo e clique em "Comentar" para enviar seu comentário


ComentÁrios Facebook


Mais Notícias

E-mail: redacao@gentedeopiniao.com.br - gentedeopiniao@gmail.com

Diretor Comercial Luiz Carlos Ferreira - Jornalista Responsavél Luka Ribeiro

Telefone: (69) 3221 4532 e (69) 3221 4532

Endereço: Av Getulio Vargas 2086 - Sala Comercial 5 , Bairro: Nossa Senhora das Graças - CEP: 76804-114

Cidade/Estado: Porto Velho/RO

É autorizada a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação,
eletrônico ou impresso, informando a fonte em nome de Gente de Opinião

Gente de Opinião | Copyright © 2017 | Todos os direitos reservados