Porto Velho (RO) segunda-feira, 1 de junho de 2020
×
Gente de Opinião

Viviane Paes

História & Estórias do Dia da Internacional da Mulher - A costureira das bailarinas


História & Estórias do Dia da Internacional da Mulher - A costureira das bailarinas - Gente de Opinião

A costureira das bailarinas

Descendente de nordestinos, que vieram do Rio Grande do Norte fugindo das recorrentes grandes secas, numa longa viagem de navio até Manaus e de lá de barco para o Território Federal do Guaporé, Maria Ferreira dos Santos, ou melhor, a Nenzinha é uma das mais antigas costureiras da região central de Porto Velho.

Trabalhou na tradicional Confecção Bezerra e há quase 20 anos é responsável pelas roupas do balé do Instituto Lauro Vicunha. Vestiu também primeiras damas do Município e do Estado.

A Nenzinha divide sua vida entre a paixão pela costura e a família formada pelo esposo Clóves, os quatro filhos: Roberval, Reginaldo, Rosilene e Rosinaldo e os netos: Letícia, Gabriela, Rodrigo e Rafael.

Nos últimos anos assumiu a missão de cuidar da mãe, que estava com Alzheimer. Quem tem algum parente com essa doença neurodegenerativa sabe a luta diária que ela enfrentou. Além da perda da memória, o paciente sofre de incontinência urinária e fecal, dificuldade para comer e deficiência motora progressiva. Os médicos recomendam que esses pacientes tenham acompanhamento de cuidadoras ou enfermeiras em tempo integral. Uma necessidade longe da realidade financeira de centenas de famílias brasileiras. Dona Nenzinha era uma delas e assumiu totalmente os cuidados maternos. A costura sua profissão foi deixada de lado nesse momento.

Depois que a mãe faleceu retornou aos trabalhos com a mesma paixão e humor. Ela é uma “gaiata” entrega seu neto, o cabeleireiro Rodrigo! “Quando vamos fazer uma foto, ela faz careta e não deixa! Minha avó é uma pessoa muito alegre”, comenta o neto.

Uma das moradoras mais antigas da Rua Duque de Caxias, reside desde a década de 70, ela é o marido já tiveram uma banca de banana e castanhas e mesmo com suas tarefas de esposa, costureira e filha sempre teve tempo para ajudar nas vendas. Coisas de mulher, acostumada a desenvolver várias tarefas ao mesmo tempo sem falhar em nada. Ás vezes, algumas dessas guerreiras deixam a vaidade de lado, não a Nenzinha! Suas unhas são longas, sempre pintadas e seus cabelos impecavelmente loiros!

Uma esposa, mãe e avó que representa muitas mulheres de nosso Estado!

* O conteúdo opinativo acima é de inteira responsabilidade do colaborador e titular desta coluna. O Portal Gente de Opinião não tem responsabilidade legal pela "OPINIÃO", que é exclusiva do autor.

Mais Sobre Viviane Paes

Histórias & Estórias do Dia Internacional da Mulher - A Empresária-Psicóloga

Histórias & Estórias do Dia Internacional da Mulher - A Empresária-Psicóloga

A Empresária-PsicólogaEla vem de uma família conhecida e tradicional em Porto Velho: os Arcanjos. Quem que não conhece ou ouviu falar dela, não é mora

História & Estórias do Dia da Internacional da Mulher - A Advogada apaixonada por causas humanitárias

História & Estórias do Dia da Internacional da Mulher - A Advogada apaixonada por causas humanitárias

1912: Em 6 de maio, ocorreria a Passeata pelo Sufrágio feminino, nos Estados Unidos. Uma tática ousada, adotada por sufragistas e demais militantes

História & Estórias do Dia da Internacional da Mulher - A Ex-Doméstica, mãe de Enfermeiro

História & Estórias do Dia da Internacional da Mulher - A Ex-Doméstica, mãe de Enfermeiro

1911: O primeiro dia oficial da mulher foi celebrado, em 19 de março de 1911, na Alemanha, resultado da Segunda Conferência Internacional das Mulheres

História & Estórias do Dia Internacional da Mulher - A Professora “ribeirinha”

História & Estórias do Dia Internacional da Mulher - A Professora “ribeirinha”

Quem cursou a educação primária, hoje ensino fundamental, no início da década de 70, em Porto Velho, no Colégio Dom Bosco e no Granjeiro jamais esquec